sexta-feira, 13 de novembro de 2009

UM DIA...

"Um dia ela já ali não está.
Acordas e ela já ali não está.
Partiu de noite.
A marca do corpo ainda está nos lençóis,
está fria.
Não há mais nada no quarto, só tu.
O corpo dela desapareceu.
A diferença entre tu e ela confirma-se
pela sua repentina ausência.
Ao longe, nas praias, gaivotas gritariam
na escuridão a acabar,
começariam já a alimentar-se do vermes do lodo
a remexer nas areias que a maré baixa abandonou.
No escuro, o grito louco das gaivotas esfomeadas,
parece-te de repente que nunca o ouviste..."
(Marguerite Duras)

Nenhum comentário: