domingo, 18 de outubro de 2009

NÃO SEI QUEM SOU...

"Sonho.
Não sei quem sou neste momento.
Durmo, sentindo-me.
Na hora calma
Meu pensamento esquece o pensamento,
Minha alma não tem alma.
Se existo é um erro eu o saber.
Se acordo
Parece que erro.
Sinto que não sei.
Nada quero nem tenho nem recordo.
Não tenho ser nem lei.
Lapso da consciência entre ilusões,
Fantasmas me limitam e me contêm.
Dorme insciente de alheios corações,
Coração de ninguém..."
(Fernando Pessoa)

9 comentários:

WLADIA MARTINS disse...

amo Fernando pessoa, adorei teu blog,adoro vc, acho um homem super inteligente e com muito talento, seja feliz, amigo

Sol Terra Água disse...

Luís, tá show de bola teu blog. Por oportuno, quando você estiver atuando no teatro, convida a gente, valeu?
Forte Abraço!!!

Janete disse...

Ora, que amor ficaram as tuas fotos de abertura do blog, amigo querido. Blog oxigenado, tudo muito clean, típico de ti. Muita sorte, Luís. Abração! Ah, adorei a seleção de poemas, dos melhores!

Cylene França disse...

Luís, vendo teu blog lembrei do meu, quanto tempo não o atualizo. Gostei do texto, muitas vezes não sei quem sou, mas o bom é saber que aquele cara lá em cima sabe quem sou e conhece todos os meus pensamentos. Daí de vez enquando ele me lembra quem sou e me devolve a mim mesma. Parabéns pelo blog, vou começar a visitá-lo, pelo que vi tem muita coisa boa por aqui...rs Te adoro!!! Cy.

Jorge Soares disse...

Olá Luis, gostei do teu glog, em particular este poema de Pessoa, "Não sei quem sou". Fez-me lembrar o dia em que criei o perfil no Orkut, e não sabia como definir a minha pessoa, foi quando me lembrei de Florbela Espanca, e o poema que abaixo é postado. O original é no feminino, este no masculino adaptado para mim.
É claro que falar de ti, é muito mais que tudo isto. Não te conhecendo pessoalmente, tive oportunidade de te "estudar ao pormenor", quando trabalhei todas aquelas fotos que utilizei na produção do teu video.
Eu sou o que no mundo anda perdido,
Eu sou o que na vida não tem norte,
Sou o irmão do Sonho, e desta sorte
Sou o crucificado... o dolorido...

Sombra de névoa ténue e esvaecida,
E que o destino, amargo, triste e forte,
Impele brutalmente para a morte!
Alma de luto sempre incompreendida!

Sou aquele que passa e ninguém vê...
Sou o que chamam triste sem o ser...
Sou o que chora sem saber porquê...

Sou talvez a visão que Alguém sonhou,
Alguém que veio ao mundo p´ra me ver
E que nunca na vida me encontrou!
Um abraço e obrigado pela tua amizade.
De Portugal com carinho
Jorge Soares

Valter Queiroz disse...

Amigo Luiz,
Há quem diga que todas as noites são de sonhos.
Mas há também quem garanta que nem todas, só as de verão. No fundo, isto não tem muita importância.
O que interessa mesmo não é a noite em si, são os sonhos. Sonhos que o homem sonha sempre, em todos os lugares, em todas as épocas do ano, dormindo ou acordado.

Abração

mdlivio disse...

Luís, amado! Eu adoro Fernando Pessoa! Amo muito você! Uma honra ter um amigo sincero, prestativo, honesto, guerreiro, excelente ator, inteligente. Agradeço a Sônia por ter convidado-me a fazer o curta, pois assim, tivemos a oportunidade de nos tornarmos grandes amigos! Conte sempre comigo! Você é Show! Arrasa! Tudo que propuser a fazer será sempre sucesso. Que Deus o abençõe! Beijos

Aurea disse...

TO ADORANDO SEU BLOG,SUPER LEGAL,VISITAREI SEMPRE ,TUDO QUE ESTA ESCRITO É MUITO INTERESANTE E EU ADORO LER.BJS E ABRAÇOS SUPER CARINHOSO.

mdlivio disse...

Querido Luis!
Você é um amigo como poucos! Sincero, prestativo, guerreiro. Sou feliz com sua amizade e a preservo muito.
Parabéns por tantos trabalhos brilhantes como ator. Sucesso sempre!
Adoro Fernando Pessoa!
Fica com Deus!
Um beijo com muito carinho!