segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

SUB(MISSÃO)

"Vou consumir-te
Até o suor explodir em teus poros.
Desalinhar teus cabelos,
Emaranhar-me em teus pelos.
E pelo que sei gostas de ser possuído.
Desabotoarei cada um dos botões
desta camisa social.
Até que implores
Para que eu desça um pouco mais
E arranque cada perna das suas calças.
Passo a passo até chegar as meias
e sem meias ações,
Deixá-lo em nu artístico
E pintar tua expressão com meu batom
no espelho esfumaçado
Pelo teu hálito quente.
Submisso, ansioso pelo ato final,
amarrado à cama, sentirás o peso
Do meu corpo, matando teus desejos.
Minha língua sufocando as palavras...
O poema não tem rimas,
Agora tu estás por cima.
È a minha vez de mudar de posição
Num jogo de entra e saí e lá vai..."
(Tânia Mara Camargo)

Um comentário:

Tânia Mara Camargo disse...

AMIGO, OBRIGADA POR POSTAR MEUS
RABISCOS. BJS
MEUS BLOGS:
http://taniamarapoesias.blogspot.com
http://poesiaeafins2.blogspot.com
http://poesiaeafins3.blogspot.com
http://poesiaeafins4.blogspot.com