sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

INFINITO SEM HORA

"Minha felicidade é sem idade
singular
sigo lá no fundo dos seus olhinhos
o meu olhar
consigo vê-la sorrindo
e só isso basta pra viver
vão-se os segundos
vão-se os receios.
o meu sonho nada nesses olhinhos de mar
repousa leve nos seus seios...
em mim nada mais existe,
em mim nada mais é triste.
Nesse infinito sem hora
quero que tudo passe e me leve
Eu me perco na sua boca que me olha
eu me perco nos seus olhos que me beijam
coisa louca que me cura
é essa loucura de amar e não ter medo."
(Geovane Belo)

Um comentário:

MARIA L. BÓZOLI disse...

Aquilo que está escrito no coração não
necessita de agendas porque a gente não esquece.
O que a memória ama fica eterno.

(Rubem Alves)


BOM FDS PRÁ TI.......M@RIA