terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

SOU INQUIETA

"Sou inquieta, áspera
E desesperançada
Embora amor dentro de mim eu tenha
Só que eu não sei usar amor
Às vezes arranha feito farpa
Se tanto amor dentro de mim
Eu tenho,
mas no entanto continuo inquieta
É que eu preciso que o Deus venha
Antes que seja tarde demais.
Corro perigo
Como toda pessoa que vive
E a única coisa que me espera
É exatamente o inesperado
Mas eu sei
Que vou ter paz antes da morte
Que vou experimentar um dia
O delicado da vida
Vou aprender
Como se come e vive
O gosto da comida..."
(Clarice Lispector)

Nenhum comentário: