quinta-feira, 27 de maio de 2010

EU NÃO QUERO SER MAIS EU MESMO

"Eu sinto uma beleza quase insuportável e indescritível.
Como um ar estrelado, como a forma informe,
como o não-ser existindo,
como a respiração esplêndida de um animal.
Enquanto eu viver terei de vez em quando
a quase-não-sensação do que não se pode nomear.
Entre oculto e quase revelado.
É também um desespero faiscante
e a dor se confunde com a beleza
e se mistura com a alegria apocalíptica.
Gostaria de viver exclusivamente
da meditação tola e fecunda
na contemplação da morte e de Deus.
Gostaria de dedicar-me a beijar crianças.
Transportar-me eu vos suplico,
eu não quero ser mais eu mesmo.
Eu sou vós.
Sinto necessidade de arriscar minha vida.
Só assim vale a pena viver..."
(Clarice Lispector)

Um comentário: